Informações Legais


Nuno Cruz pede a todos os utilizadores que leiam os termos e condições deste website. Ao acederem, navegarem e utilizarem este website, os utilizadores reconhecem que leram, compreenderam e consentiram com os respetivos termos e condições, enumerados de seguida:

  1. Acesso ao website
    O utilizador do website nunocruzcoach.com reconhece que tem as competências e os recursos necessários para aceder e utilizar o mesmo em condições.

  2. Propriedade intelectual
    Nuno Cruz detém os direitos sobre todas as componentes que constituem este website, em particular, os seus dados, conteúdos e design.

    É proibido reproduzir, representar, distribuir ou re-distribuir parte ou integralmente este website, por qualquer meio que seja utilizado, sem o consentimento expresso e escrito de Nuno Cruz.

    O não cumprimento desta indicação constituirá uma contravenção das leis portuguesas, regidas pelo código da propriedade intelectual.

  3. Responsabilidade
    Nuno Cruz fará todos os esforços para garantir a atualização e correção da informação disseminada o seu website e reserva-se-lhe o direito de mudar o conteúdo e/ou a sua apresentação a qualquer momento e sem aviso prévio.

  4. Links em hypertexto
    Links hypertexto a partir do website nunocruzcoach.com para outros websites não podem em momento algum constituir responsabilidade sobre esses mesmos websites, para Nuno Cruz.

  5. Ficheiros PDF
    Para lerem um ficheiro PDF, os utilizadores precisarão de fazer o download da última versão do programa de software Acrobat reader.

    Este software terá que ser descarregado de outro site que não o do Nuno Cruz.

  6. Informação pessoal
    Toda a informação pessoal que for comunicada no website nunocruzcoach.com através das formas naturalmente disponibilizadas, serão processadas por Nuno Cruz, como administrador de dados, para utilização interna apenas e pro forma a poder responder às solicitações feitas.

  7. Lei aplicável
    O website nunocruzcoach.com está sujeito à lei portuguesa. Todos os utilizadores reconhecem a competência dos tribunais portugueses para resolver qualquer disputa que resulte da sua utilização.